Reptilia - Tartarugas

 
Illustrações: L.Gallagher/ImagDOP
 

 

Répteis marinhos presentes na terra desde há mais de 100 milhões de anos, actualmente encontram-se drasticamente ameaçados de extinção devido principalmente a ameaças antropogénicas. São Animais que passam a maior parte do tempo no mar, apresentando um ciclo de vida complexo com grandes alterações na sua ecologia, comportamento e distribuição. Depois de saírem dos ovos as pequenas tartarugas tentam chegar o mais rapidamente possível ao mar. Uma vez no mar, estes répteis são transportados pelas grandes correntes de superfície para o oceano aberto, onde permanecem durante vários anos, alimentando-se, preferencialmente, de medusas. Depois deste período oceânico as tartarugas juvenis voltam para as zonas costeiras continentais para se alimentarem bentonicamente e reproduzirem. Contudo há sempre uma excepção, as tartarugas-de-couro permanecem quase toda a sua vida em oceano aberto.

As tartarugas marinhas aparecem nos Açores apenas durante a sua fase juvenil oceânica, com a excepção da tartaruga-de-couro que aparece maioritariamente na sua fase adulta. Existem 7 espécies de tartarugas marinhas a nível mundial, no arquipélago dos Açores estão registadas cinco espécies de tartarugas marinhas: a tartaruga-boba (Caretta caretta); a tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea); a tartaruga-verde (Chelonia mydas); a tartaruga-de-escamas (Eretmochelys imbricata) e a tartaruga-de-Kemp (Lepidochelys Kempii). Contudo, apenas focaremos as três espécies mais abundantes.