"CP Valour" encalha na Praia do Norte
intradop logo
 

Dia 19 de Julho

Algumas fotos das obras de remoção do navio:
(fotos: E. Arand / ImagDOP)

 

Dia 2 de Março

Uma equipa do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores, constituída pelo biólogo-marinho Rodrigo Delgado e pelo técnico Norberto Serpa, realizaram hoje mais uma amostragem biológica (gastrópodes e crustáceos) e de sedimentos nas zonas de comparação em relação à zona do acidente do "CP Valour". Foram recolhidos amostras que serão analisados para verificação do conteúdo de hidrocarbonetos.

Dia 21 de Fevereiro
 

Uma equipa do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores, constituída pelo biólogo-marinho Frederico Cardigos e pelo técnico de mergulho Norberto Serpa, mergulharam hoje no local do acidente do "CP Valour". A zona à volta do navio tem generalizadamente 5 metros de profundidade, embora perto da popa a bombordo ultrapasse oito metros e a estibordo (meio-navio) o nível de açoreamento seja elevado. Estimamos que a profundidade não passe os três metros a 20 metros a estibordo navio. É obviamente elevada a quantidade de lixo que existe em volta do navio, mas, surpreendentemente, não encontrámos qualquer contentor inteiro, apenas pedaços dispersos pelo fundo. Ainda menos previsível eram os nove bob-cats que agora polvilham os fundos na Praia do Norte.

Detectámos também umas placas artificiais numeradas, cuja origem ou função não conseguimos compreender. Há zonas do navio que continuam a libertar "poeira" negra (provavelmente resultante da permanente lavagem dos tanques) formando uma nuvém escura e sem visibilidade. Presumimos que essas zonas escondam as zonas arrombadas. Pelo fundo há uma enorme quantidade de pedras com arestas agudas, indicativas de formação recente. Estas deverão ser o resultado das diversas movimentações que o navio tem sofrido em todas as tempestades. Não encontrámos quaisquer fissuras ou torções evidentes e o navio está assente sobre o fundo em todo o seu comprimento.
Em termos ecológicos, observámos algumas pedras com algas, muitas algas dispersas pelo fundo, e diversas espécies de peixes (sargos, bicudas, tainhas, peixe-rei e moreias pintadas). Este conjunto de espécies é "prometedor" de um ambiente marinho em recuperação, não haja mais nenhuma surpresa desagradável...
Foram recolhidas diversas amostras de sedimentos que agora serão analisadas.
Fotos: ImagDOP

Dia 14 de Fevereiro

Segundo fontes no local, estiveram ontem na Fajã pessoas estrangeiras a observar o navio, Holandeses e de outro país, todas elas relacionadas com as propostas de remoção que esperamos sejam breves e eficazes.

 
 

Foto: Vigilantes da Natureza

Dia 13 de Fevereiro

Segundo fontes no local caíram mais 3 contentores. com diverso material, um deles continha monta-cargas que se afundaram e os outros sementes, umas de girassol e outras, provavelmente de sésamo. Caíram no total até hoje 28 contentores.
Os dias 12 e 13 foram desde o início aqueles em que se notou ondulação mais elevada.
A proa do navio oscila muito em relação ao restante casco, indiciando que poderá partir em breve.
Fotos: Vigilantes da Natureza

Dia 11 de Fevereiro

A empresa que tratou da remoção da carga perigosa com o helicóptero Kamov KA32 deseja:
"All the best to the peoples of Fayal, we really appreciate their hospitality all around. /Skytech 's team"

Dia 10 de Fevereiro

Com a ajuda do Teatro de Giz (Horta) o grupo de teatro italiano "Piccolo Teatro di Milano" vai poder recuperar uma parte do seu equipamento.
O contentor ficou totalmente destruído, mas algumas caixas muito bem construídas no seu interior resistiram às ondas e às infiltrações de água e salvaguadaram roupas e equipamentos.
Fotos: Teatro de Giz

Dia 9 de Fevereiro

Passaram-se dois meses desde o infelíz encalhe do "CP Valour"...
Até o momento foi libertada uma quantidade não determinada de hidrocarbonetos e caíram ao mar um total de 25 contentores. O navio não apresenta a estrutura visivelmente danificada, embora algumas fontes refiram já se notar algum abaloamento.
Um dos contentores possuia sementes de girassol, estas deram à costa, dando uma tonalidade esbranquiçada às praias naturalmente pretas nas ilhas do grupo central dos Açores. Foi o nosso pequeno "nevão" açoriano. Foto: ImagDOP

Dia 6 de Fevereiro

18:00 Equipa de biólogos do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores deslocou-se para a Baia das Cabras para efectuar recolhas biológicas e de sedimentos para análise. Em termos visuais a área parece estar a recuperar normalmente, havendo já algas nas zonas anteriormente mais impactadas. Pela amostragem foi possível verificar, no entanto, que os niveis mais altos da cadeia trófica ainda estão muito abalados, apresentando baixas densidades destes organismos. Fotos: ImagDOP

O grupo de teatro italiano já respondeu ao contacto pelo Teatro de Giz: "...I am the tour and production manager of the US Tour of Arlecchino and all of us were so desperate about this incredible adventure.(...) Our container is a Hanjing clear blue one which was on the afterhold (waves' side, unfortunately) and I imagined that in a short time it would fall down. We thought everything was lost and your message was a sparkling light in this nightmare..."

Dia 5 de Fevereiro

Um dos contentores arrojados pelo "CP Valour" continha os adereços de um grupo de Teatro Italiano de nome "Piccoli". Elementos do Teatro de Giz (da cidade da Horta) já estão a tentar entrar em contacto com este grupo e, simultaneamente, a recuperar o possível deste valioso espólio. Entre os diversos itens encontram-se
cenários, roupas, maquiagens (estas inutilizadas), manequins e fotografias de representações. Para além do que já estava na lixeira, ainda permanecem diversos caixotes dentro do contentor arrojado e que agora deverão ser entregues à alfândega. Que mais surpresas nos reserva este navio? (Fotos: Vigilantes da Natureza - SRAM).

Dia 4 de Fevereiro

Ontem cairam 3 contentores e hoje durante a manhã mais 2. No total já cairam para o mar 23 contentores. Foto: ImagDOP

Mas a grande notícia é não haver grandes notícias.

É urgente a determinação do perigo potencial para o Ambiente (nomeadamente a quantidade de hidrocarbonetos existentes a bordo) e é importante a apresentação de um plano para remoção do navio.

Dia 27 de Janeiro

Aparentemente a forte ondulação verificada nos últimos dias funcionou como agente dispersante, sendo o cenário na Praia do Norte muito mais optimista. Caso não estivesse o navio no meio da Praia e até poderia parecer que nada tinha ocorrido. Apenas uma mancha insiste em não abandonar a área, como que relembrando que a contaminação ambiental invisível pode ser elevada e que o perigo potencial se mantém.

Dia 25 de Janeiro

< Fotografia ao início da tarde (Vigilantes da Natureza - SRAM)

18:00 As condições meteorológicas começam a estar mais calmas. Para trás fica uma mancha escura de hidrocarbonetos que cobre toda a Baía das Cabras. É um triste espectáculo este que fica com a bonança. Cinco manchas deslocam-se para o exterior da Baía pela Ponta dos Cedros.
Durante a tempestade, locais referiram que a proa do barco se movimentava um pouco, mas que a popa não. Será este um sintoma de fragilidade da embarcação?

< Fotografias do dia 25 - 9:00
(E Arand/ImagDOP)

A forte ondulação verificada durante a noite provocou mais degradação no navio e na sua carga. Regista-se uma grande quantidade de fuel-óleo a ser libertada pelo navio. Os modelos de oceanografia física apontam para a a possibilidade de este fuel-óleo ser transportado para a zona do Canal Pico-S. Jorge, ao contrário de ontem, em que foram, essencialmente, transportados para Oeste da Baía das Cabras.

< Fotografias do dia 24 - 16:30 (E Arand/ImagDOP)

A forte ondulação, que ultrepassava, neste período, os cinco metros, está a martirizar o que resta da carga do "CP Valour". Apesar da espectacularidade das imagens ainda restam muitos contentores sobre o convés (cerca de uma centena). O perigo que estes constituem para a segurança da navegação e de potencial impacto ambiental, obrigam a uma vigilância permanente da embarcação.

Dia 24 de Janeiro

< Fotos: Vigilantes da Natureza - SRAM
Fontes no local informam que hoje no período matinal a ondulação atingiu o ponto mais violento, desde o acidente do "CP Valour". Neste momento as vagas têm mais de 4 metros de altura. A previsão é para piorar até o meio da noite entre 24 e 25 de Janeiro, momento em que a ondulação deverá passar os 6 metros. Na sequência desta crise meteorológica, há mais lixo a dar à costa, (essencialmente madeiras e hidrocarbonetos). Cairam mais dois contentores, tendo um sido imediatamente resgatado na Praia e o outro afundou.
O navio ainda não apresenta fissuras exteriores, apenas deformações na estrutura.

Entre as 10 fotografias
mais vistas de sempre
do site azoresairphotos.com,
cinco estão relacionadas
com o acidente do "CP Valour".
> mais informações...

 

 

Dia 23 de Janeiro

< Fotos: F Cardigos/ImagDOP

Biólogo do DOP participou na terceira missão de monitorização aérea para detecção dos residuos libertados pelo "CP Valour". Esta missão foi coordenada pela Marinha de Guerra Portuguesa e realizou-se a bordo de um helicóptero Puma da Força Aérea, tendo durado cerca de duas horas. Este trabalho incluiu visitas ao navio, a toda a costa da ilha do Faial, às costas Norte das ilhas do Pico e de São Jorge e a um troço entre a Ponta dos Rosais e Urzelina. Foram também observados os canais entre estas três ilhas. Foram detectados focos de poluição nas costas Nortes das três ilhas e entre a Ponta dos Rosais e Urzelina. Esta observação revela uma manutenção na densidade dos focos de poluição, mas um aumento na aérea coberta.

 

 

Dia 21 de Janeiro

Fontes não confirmadas referem que um dos trabalhadores, integrado na equipe de limpeza da Praia, teve de ser hospitalizado por complicações respiratórias resultantes da libertação de hidrocarbonetos.

Dia 20 de Janeiro

O Director do DOP, Ricardo Serrão Santos, dá uma grande entrevista ao Jornal Tribuna das Ilhas onde refere o tempo estimado para a recuperação embiental do local. No mesmo número deste jornal, o Subsecretário das Pescas, Marcelo Pamplona, fala das interacções entre o acidente do "CP Valour" e a actividade pesqueira.
> leia a entrevista completa de Ricardo Serrão Santos (.pdf, 900 kb)
> leia a entrevista completa de Marcelo Pamplona (.pdf, 350 kb)

Dia 18 de Janeiro

Deram à costa na zona da Prainha (Praia do Norte) quantidades elevadas de hidrocarbonetos e restos de carga do "CP Valour". Populares juntaram algum lixo em diversos montes.
Reitera-se que esta zona está interdita e que é perigoso circular na área.

Dia 17 de Janeiro

Extracto do Comunicado da Marinha datado de 17 de Janeiro: "Entre os dias 11 e 13 de Janeiro de 2006 caíram no total sete contentores do navio CP Valour, na sequência do mau tempo que se fez sentir na região. A Autoridade Marítima accionou imediatamente uma embarcação, a qual recolheu e rebocou para o Porto da Horta dois contentores, que se encontram neste momento em terra, um dos contentores deu à costa e os restantes afundaram-se junto ao navio, não constituindo qualquer perigo para a navegação. Dos contentores que caíram à água um deles continha madeira a granel, encontrando-se os restantes vazios. A Autoridade Marítima manteve a sua embarcação na área e em colaboração com a Força Aérea foi verificada a área circundante ao local do acidente, não tendo sido avistados quaisquer indícios de contentores e/ou materiais a flutuar."
> Leia a notícia completa e veja as imagens no site da Marinha carregando aqui.

Numa aula de campo na Fajã da Caldeira de Santo Cristo (Ilha São Jorge), os participantes constataram a presença de hidrocarbonetos na entrada da Lagoa de Santo Cristo.

Fotografias tiradas durante o passado fim de semana, gentilmente cedidas pelos Vigilantes da Natureza, documentam o estado de degradação avançado do navio e da sua carga. O numero total de contentores caídos para a água até ontem passou para 11.

Fotos: Vigilantes da Natureza/SRAM
Apesar de ligeira, nota-se ainda igualmente uma libertação permanente de hidrocarbonetos.

[LUSA / Portal das Pescas]
Entretanto, a Armada Portuguesa está a efectuar um inquérito para apurar responsabilidades do encalhe, no início de Dezembro, do navio "CP Valour" junto à ilha do Faial, segundo anunciou ontem o Comando da Zona Marítima dos Açores. Segundo o almirante Rodrigues Cabral, a Marinha já ouviu todos os intervenientes no processo, mas ainda não concluiu as investigações para apurar as razões que provocaram o acidente que ocorreu no passado dia 9 de Dezembro. O almirante da Zona Marítima dos Açores garantiu, porém, que o comandante do navio negou sempre a existência de qualquer avaria nas máquinas, negando o que foi noticiado pela comunicação social."Tendo sido contactado via rádio, conforme procedimento normal em tais situações, e confirmado o facto de não existirem restrições de manobra, [o navio] foi verbalmente autorizado, por parte do capitão do Porto da Horta, a fundear", explicou. Além disso, a baía onde o navio encalhou é conhecida, e mesmo indicada nas cartas de navegação, como "zona de fundeadouro", razão pela qual o capitão do Porto da Horta não encontrou obstáculos para a realização da manobra, disse. O almirante Rodrigues Cabral adiantou, ainda, que aquela "não é uma zona de pilotagem obrigatória", pelo que não era exigida a presença a bordo de um piloto local, para que o porta-contentores, de 180 metros de comprimento, pudesse fundear."Em âmbito de inquérito, será naturalmente investigado se, no respeitante às acções e responsabilidades do comandante do navio, houve observância do que em matéria de navegação se encontra estabelecido", referiu o comandante da Zona Marítima dos Açores.

Dia 14 de Janeiro

12:30 A melhoria das condições meteorológicas no local parece ter desacelarado o desmantelamento da carga do "CP Valour".

Dia 13 de Janeiro

20:30 Entrevista do Jornal Tribuna das Ilhas a representante de pescadores da Ilha do Faial. Leia carregando aqui. No mesmo número é feito um elogio aos elementos do Serviço Nacional de Combate à Poluiçáo. Ainda na mesma edição é noticiado "Paulo Casaca reclama criação de Guarda Costeira europeia".

18:30 Fonte no local refere que entre as 16:30 e as 18:00 caiu mais contentor e que este ficou à deriva.

14:40 Acabamos de ter informados, por fonte no local, que um dos elementos da equipe de segurança em serviço na praia, ao tentar passar um cabo num dos contentores caídos, que se aproximava da terra, ficou com um pé preso debaixo do mesmo. Apesar de não correr perigo, teve de ser hospitalizado.
A baleeira salva-vidas de estibordo caíu encontrando-se à deriva.

14:00 Bióloga do DOP, Mónica Silva, faz uma análise ao animal presente na Baia das Cabras e conclui que provavelmente se traterá de uma cria de cachalote, com 4-5 metros de comprimento, que não morreu a nascença e que terá falecido há cerca de uma semana atrás. Reitera-se que muito dificilmente esta morte puderá de alguma forma estar relacionada com o acidente do "CP Valour".

As condições meteorológicas no local estão a danificar seriamente o navio e os contentores. Um dos contentores chegou às rochas durante a madrugada de hoje. Pedaços de carga estão a ser espalhados na costa, segundo nos informou um representante do armador. Apesar do vento não ser forte e o céu estar com boas abertas, a ondulação é elevada, com cerca de quatro a cinco metros. Segundo fontes no local, ouve-se o movimento dos contentores e o ranger da estrutura do navio a cada vaga. Há libertações elevadas de hidrocarbonetos. Fotos: ImagDOP
Apesar de dificilmente poder estar relacionado com o acidente do "CP Valour", está na zona um cadáver de um animal de dimensões médias. Desde ontem que permanece perto de terra, mas dado que ainda não arrojou e as condições metereológicas não permitem uma aproximação por mar, ainda não foi analisado.
Apesar das severas condições do mar, há pessoas a limpar o areal. Isto revela um interesse e dedicação à minimização do risco ambiental por parte desta equipa que deve ser registado.

Dia 12 de Janeiro

Foi hoje publicada a Portaria do Subsecretário Regional das Pescas que veda a extracção na área de encalhe do "CP Valour". Leia aqui a Portaria n.º 8/2006 de 12 de Janeiro de 2006 .

14:00 Os 2 contentores caídos do navio no dia 11 foram rebocados até o Porto da Horta e encontram-se agora em cima do cais. Um deles contêm madeira, o outro está vazio.

Foto: ImagDOP

Dia 11 de Janeiro

Deslocou-se uma equipa do Departamento de Oceanografia e Pescas para mergulhar a volta do navio encalhado para verificar as consequências ambientais subaquaticas. Infelizmente, as condições meteorológicas no local não permitiram a submersão. O técnico do DOP, Norberto Serpa, acabou por ficar no local a prestar auxílio no sentido de colocar amarrações nalguns dos contentores que caíram no mar.

 

Dia 8 de Janeiro

O "CP Valour" ainda está a libertar hidrocarbonetos para o ambiente. Foi esta a conclusão que uma observação de campo efectuada por um biólogo do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores.

 

Dia 6 de Janeiro

[Tribuna das Ilhas - edição de 6 de Janeiro 2006]

"Secretária do Ambiente exige acção no terreno:
"Porta Contentores CP Valour tem de ser retirado rapidamente""
. A reportagem inclui também uma entrevista ao Almirante Cabral Rodrigues e um Comunicado da Azorica.
> leia mais carregando nas imagens

 

13:46 Biólogo do DOP participou em mais uma missão de monitorização aérea para detecção dos residuos libertados pelo "CP Valour". Esta missão foi coordenada pela Marinha de Guerra Portuguesa e realizou-se a bordo de um helicóptero Puma da Força Aérea, tendo durado duas horas e meia e incluido visitas ao navio, toda a costa da ilha do Faial, as costas Norte das ilhas do Pico e São Jorge e canais entre estas três ilhas. Foram detectados focos de poluição nas costas Nortes das três ilhas. Não foi detectada nenhuma quantidade significativa na zona central do canal São Jorge-Pico.

Dia 5 de Janeiro

Biólogo do DOP participou em missão de verificação das quantidades de IFO 380 presentes nas costas da Ilha do Pico. Verificou-se existirem manchas de dimensão considerável na zona superior da Praia-Mar das costas de pendor baixo a médio, de cinco zonas entre a vila da Madalena e a freguesia da Ribeirinha. Os hidrocarbonetos encontrados são muito provavelmente do navio "CP Valour" e carecem de intervenção costeira

 

Dia 4 de Janeiro

Um biólogo do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores visitou ontem os extremos da zona a proteger pela Portaria do Subsecretário das Pescas, tendo constatado que não há qualquer foco de poluição preocupante que tenha chegado a estas áreas.

Dia 2 de Janeiro 2006

O helicóptero pesado Kamov 32 acabou o seu trabalho na ilha do Faial e prepara-se para regressar "à casa" via Santa Maria.
Raramente o aeroporto da Horta encontrou-se tão solicitado.
Fotografia de Carlos Sequeira [AzoresAirPhotos.com].

 

 
Dia 31 de Dezembro

Governo considera fundamental retirar todo o combustível do “CP Valour”
O Governo Regional dos Açores contínua a insistir junto da Autoridade Marítima para a necessidade urgente da trasfega do combustível do navio “CP Valour” antes que as condições meteorológicas e oceanográficas se alterem e que possam ocasionar mais derrames em consequência da eventual danificação do navio. Devido às condições nefastas que este cenário poderá ocasionar ao ambiente marinho, a secretária regional do Ambiente e do Mar solicitou à Autoridade Marítima que fosse feita uma peritagem, por uma empresa especializada, de modo a constatar-se a quantidade de combustível ainda existente a bordo e as suas condições de armazenamento. O Governo sugeriu ainda a hipótese de trasfega de combustível de alguns tanques em más condições para um único ou vários tanques em melhores condições de estanquicidade. Propôs, ainda, que fosse analisada tecnicamente a possibilidade de retirada do combustível de bordo com recurso a um helicóptero, usando para tal recipientes apropriados, a exemplo do que aconteceu com os óleos que provinham do motor do navio. [GaCS/JSF]

Dia 30 de Dezembro

16:30 Foi ontem publicada a Portaria do Subsecretário Regional das Pescas que veda a extracção na área de encalhe do "CP Valour". Leia aqui a Portaria nº 94/2005 de 29 de Dezembro de 2005.

15:38 Informações do local referem que o rebocador "Fotiy Krylov" já largou os cabos do "CP Valour". O helicóptero Kamov retirou dois tanques com óleos e deixou a bordo mais alguns recipientes para colocação de óleos usados. O salmão que se encontra no contentor de congelados irá ser retirado logo que possível, pois a carga já está deteriorada. Na praia, as limpezas estão concentradas nas zonas rochosas, onde se utiliza agora água sob pressão.

Dia 29 de Dezembro

18:00 Comunicado da Marinha datado de 29 de Dezembro de 2005: "As operações efectuadas pelo helicóptero pesado, Kamov 32, durante a manhã de hoje, dia 29 de Dezembro, concluíram com sucesso a retirada das 19 toneladas da carga perigosa, o persulfato de sódio, que se encontrava a bordo do CP Valour, 11 toneladas durante a tarde de ontem e as restantes durante a manhã de hoje. Para além do material perigoso foi agendado para hoje a retirada de óleos e latas diversas. No sentido de minimizar o impacto ambiental das operações de desmantelamento do navio vão ser colocados a bordo 10 recipientes, com o fim de armazenar óleos e lubrificantes que ainda se encontram a bordo, para posteriormente serem retirados utilizando ainda a presença do helicóptero na zona. Relativamente aos cerca de 500 contentores, e após uma avaliação minuciosa, concluiu-se que não é possível retirá-los com a ajuda do helicóptero pesado, conforme estava previsto, a inclinação do navio e as suas dimensões foram factores determinantes na avaliação efectuada pela tripulação do helicóptero. A carga existente dentro dos contentores é na sua maioria constituída por material diverso, sendo de referir a existência de material eléctrico, electrónico e material refrigerado. Dos cerca de 500 contentores que se encontram a bordo cerca de 10 a 20% encontram-se vazios". > www.marinha.pt - Fotos: Pedro Sousa - [AzoresAirPhotos.com]

 

 

 

 

 

9:45 A equipa especializada em remoção de cargas perigosas está a preparar-se para mais um dia de trabalho. Para simplificar a tarefa, os contentores estão a ser abertos por cima. Nota-se um cargueiro pequeno da empresa das Lanchas do Pico ao lado do "CP Valour", possivelmente para receber carga.

Dia 28 de Dezembro

17:33 Extracto do Comunicado da Marinha datado de 28 de Dezembro de 2005: "Ontem ao fim do dia realizou-se uma reunião de coordenação entre a Autoridade Marítima, os representantes do armador, empresas contratadas pelo armador e representantes das entidades locais. Nesta reunião foram discutidos diversos aspectos relacionados com as operações de recuperação do navio CP Valour e das acções de combate à poluição. Aqui foi formalmente assumido pelo armador que o navio se encontrava perdido e consequentemente de recuperação impossível. Assim, cumprindo com o previsto no Decreto-Lei Nº 64/2005 de 15 de Março o armador comprometeu-se a apresentar um plano de remoção do navio ou destroços, de hidrocarbonetos, combustíveis e demais produtos considerados poluentes. Em simultâneo mantém-se a execução do plano para a retirada do material perigoso, ainda existente a bordo, designadamente as 19 toneladas de persulfato de sódio, e da restante carga. Durante esta reunião foi apresentada uma empresa especializada em desmantelamento de navios, que para este efeito apresentou uma proposta para a execução das acções conducentes à remoção da carga, materiais poluentes e desmantelamento e retirada do próprio navio. O esboço do plano apresentado prevê a utilização de uma barcaça/plataforma e uma plataforma/batelão ambas a serem colocadas entre o navio e terra, estes dois meios irão proceder à recolha da carga, ao corte do navio e posterior remoção. Estes trabalhos prevê-se caso seja contratualizado o serviço que tenham o seu início no final de Janeiro, e prolongar-se-ão durante 5 ou 6 meses. Antevê-se, e segundo a experiência internacional em situações semelhantes, um período de inactividade devido a condições desfavoráveis do mar, entre 10 a 15% do tempo. Afigura-se assim que a conclusão dos trabalhos não aconteça antes de Julho ou Agosto de 2006. As operações decorrem neste momento com a chegada do helicóptero, Kamov 32, que se encontra operacional e pronto a actuar. Às 15:15 locais (uma hora mais tarde no Continente) e após verificação das condições de operação, junto do navio, iniciou-se a tentativa de retirada da carga perigosa, ainda existente num dos contentores. Estes trabalhos que irão ser realizados com a utilização do helicóptero KAMOV 32 e com auxilio de pessoal de bordo, sob condições adversas, estima-se que só terminem no decorrer do dia de amanhã, 29 de Dezembro. (...) o Magadir posicionou-se junto do navio encalhado por forma a reiniciar as operações de trasfega de combustível logo que estejam reunidas as condições de segurança. Foi possível no final do dia de 27 de Dezembro realizar uma acção de vigilância em torno da ilha do faial, com vista a detecção de focos de poluição causados pelos derrames de combustível do CP Valour. Nesta acção foi utilizado um PUMA da Força Aérea Portuguesa (...). Foi assim possível constatar que o derrame se encontra confinado à Baia da Ribeira das Cabras em manchas com cerca de 10 por 10 metros" (Leia o comunicado completo carregando aqui.)















17:28
Segundo informações obtidas no local, os trabalhos com o helicóptero Kamov 32 estão a decorrer a bom ritmo. Das 19 paletes de uma tonelada já foram retiradas 9, faltando apenas 10 paletes de produtos perigosos. A equipa desta aeronave parece especialmente treinada e equipada para este tipo de missões, tendo à chegada ao local aterrado imediatamente em cima dos contentores do "CP Valour". Se não houver outros imprevistos, amanhã deverá estar concluída esta fase das operações.
Continuam as limpezas na praia.

13:30 O helicóptero Kamov 32 está finalmente operacional e está previsto iniciar as operações de resgate de 19 toneladas de mercadorias perigosas às 14:00.

10:00 Segundo a Rádio Antena 1, o armador decidiu desmantelar o "CP Valour" no local devido aos danos estruturais do navio. O anúncio de que o "CP Valour" foi dado como perdido pelo Armador foi feito esta manhã pela Marinha. Em declarações à comunicação social, o Almirante Rodrigues Cabral, do Comando da Zona Marítima dos Açores, adiantou que o armador já delineou um plano para desmantelar o navio, de 180 metros de comprimento e 18.000 toneladas de peso, e para retirar os 500 contentores que ainda permanecem a bordo. Os estragos provocados pela ondulação e o rombo que o cargueiro sofreu no casco não permitem retirar o porta-contentores por via marítima, explicou a fonte da Marinha. Ainda de acordo com o comandante da Zona Marítima dos Açores, "o armador já efectuou contactos com uma empresa holandesa, especializada neste tipo de trabalho, para avançar para a fase de remoção do barco e dos contentores". Segundo o almirante Rodrigues Cabral, "a operação de desmantelamento do navio deverá ser efectuada através de uma barcaça que será instalada entre o navio encalhado e a costa." Tendo em conta o tempo necessário para a formalização do contrato entre o Armador e essa empresa holandesa e, também, a preparação logística dos trabalhos, a remoção do "CP Valour" só deverá ficar concluída em Julho ou Agosto de 2006", adiantou a mesma fonte. [Portal das Pescas]

Dia 27 de Dezembro

23:00 Almirante Cabral anuncia na SIC-Notícias que o resultado da reunião diária com o armador apontou na direcção de terminar as tentativas de salvamento do "CP Valour". Provavelmente ir-se-á apresentar brevemente um plano para a remoção "segura" e "amiga do ambiente" desta embarcação.

18:30 Hoje continuaram os trabalhos de remoção do poluente que continua a ser libertado pelo "CP Valour" e a ir directamente para a Praia do Norte. Os trabalhos incluem dezenas de trabalhadores que, empenhadamente, têm limpo quotidianamente a Praia, impedindo o alastramento dos hidrocarbonetos para áreas limítrofes à Baia das Cabras.

17:30 Biólogo do DOP convidado pela Secretaria Regional do Ambiente e do Mar a participar em missão de monitorização aérea constata que os focos de poluição, resultantes da libertação de combustível do "CP Valour", estão limitados numa pequena zona. A missão, desenvolvida a bordo de um helicóptero Puma da Força Aérea e coordenada pela Marinha de Guerra Portuguesa, fez um rastreio à costa da Ilha do Faial, Ilha do Pico (entre o aeroporto e a Areia Larga), e a zona marinha até três milhas náuticas por fora do "CP Valour", entre a Ponta dos Capelinhos e a Ponta dos Cedros. A análise visual permitiu a divisão das manchas de hidrocarbonetos em três classes de acordo com a área ocupada: 10 x 10 metros ou superiores, 5 x 5 metros e 1 x 1 metro. As primeiras têm uma probabilidade de ser observadas a partir do helicóptero de 99%, as segundas de 95% e as terceiras de 50%. Posto isto, foram observadas manchas da primeira classe apenas entre o próprio navio e terra. Foram observadas manchas da segunda classe apenas entre um ponto a cerca de dois quilómetros da Ponta dos Cedros, no sentido da Praia do Norte, e a lixeira do Faial. Fora desta área não foram observadas manchas da classe 1 x 1 metro com relevância ambiental ou relacionáveis com o "CP Valour". Durante esta operação, em que para além dos elementos mencionados, participaram também técnicos superiores da Marinha e da Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, foram obtidas cerca de 300 fotografias e 20 minutos de vídeo, que caracterizam as zonas rastreadas e permitirão futuras comparações. Carregue aqui para um pequeno .avi (5mb)


 

 

 

15:00 O helicóptero pesado Kamov 32 encontra-se montado mas ainda em Santa Maria por causa de uma avaria.
foto: Paula Cristina Sequeira - Azoresairphotos.com

 

 

 

Dia 26 de Dezembro

12:30 O helicóptero pesado, Kamov 32, ainda não chegou ao local. Não há qualquer indicação que esteja planeado chegar ao Faial um helicóptero com capacidade para remover os contentores, apenas alguma carga em certos contentores. O navio "BBC Canada" partiu no dia 24 de manhã da Ilha do Faial sem retirar qualquer contentor do "CP Valour". Não caíram mais contentores durante a noite e manhã de hoje, mas há alguns que, apesar de estarem a bordo, já se encontram severamente danificados. Aparentemente não houve mais libertação de IFO 380, mas a película superficial de "gasóleo" estende-se desde o navio até à ponta dos Cedros. As limpezas na Praia do Norte continuam estando envolvidas cerca de 40 pessoas.

Dia 25 de Dezembro

22:00 Extracto do Comunicado da Marinha datado de 25 de Dezembro: "As operações de salvamento do navio CP Valour estiveram interrompidas durante o dia de hoje, devido às condições meteorológicas adversas que se fizeram sentir no grupo central do arquipélago dos Açores, conforme previsto agravaram-se bastante, com vento e mar de noroeste. Por decisão do armador e face ao agravamento do tempo, os tripulantes e a equipa de salvamento que se encontravam a bordo abandonaram o navio, durante a manhã (...). O navio foi fustigado pelo temporal o que provocou um adornamento para Estibordo, lado de mar, de 15 a 17 graus. Estima-se que amanhã o helicóptero pesado, contratado pelo armador, retire o restante material perigoso que ainda se encontra a bordo em paletes de 1000 kg, caso as condições meteorológicas o permitam. O helicóptero pesado, Kamov 32, chegou hoje à ilha Terceira, a bordo de um avião fretado para o efeito. (...)" (Leia o Comunicado completo carregando aqui.)

17:00 A inclinação do navio não sofreu alterações desde ontem, mas faltam dois contentores no lado estibordo do "CP Valour". Na praia foram encontradas madeiras de paletes e pedaços de plásticos, presumivelmente dos contentores que caíram. Há mais manchas de IFO 380 no mar, mas parecem estar a ser empurradas imediatamente para terra (embora haja rumores, não confirmados, que terão sido vistas manchas de combustível na Madalena do Pico). As vagas abrem a cerca de 50 a 100 metros do navio e projectam-se contra este com uma violência tal que lhe passam facilmente por cima. As condições meteorológicas ir-se-ão manter desfavoráveis (embora com uma pequena melhoria) até quarta-feira (veja a previsão carregando aqui). Segundo o canal televisivo SIC, uma empresa acusou a Marinha de monopólio na assistência ao acidente do "CP Valour" (leia a notícia completa carregando aqui).

16:00 O helicóptero pesado, Kamov 32 foi fotografado no aeroporto de Santa Maria, onde chegou hoje, a bordo de um Ilyushin IL-76. (Fotos: António Sequeira - azoresairphotos.com

9:30 Intensificação das más condições meteorológicas leva a que toda a tripulação abandone o "CP Valour". O navio não tem, a partir de agora, ninguém a bordo. As limpezas na praia continuam.

 
Dia 24 de Dezembro

17:00 Um desejo de Bom Natal em especial para os que estão na Ilha do Faial, longe das suas famílias, para nos ajudar a resolver os problemas causados pelo acidente do "CP Valour". Entre estes: elementos da Marinha (incluindo o Serviço Nacional de Combate à Poluição), as tripulações do "Fotiy Krylov", do "Magadir" e armadores e tripulação do "CP Valour".

12:00 Há mais combustível na Baía, sendo o cheiro intenso e desagradável. Persume-se que o aumento do combustível tenha origem na maior inclinação do barco, mas não está colocada fora de hipótese a possibilidade de haver novos rombos. Apesar da época natalícia, os trabalhos de limpeza na praia continuam e amanhã, dia 25, irão integrar quarenta pessoais locais, para além dos efectivos da Marinha deslocados para o Faial.

 

Dia 23 de Dezembro

16:15 Rebocador "São Luís" sugere ao "Magadir" que re-inície as operações de trasfega. Na costa foi encontrado um polvo morto. O animal foi recolhido para análise. A previsão meteorológica é má e inclui ventos de noroeste a partir das 5:00 de sábado. (Ver previsão meteorológica carregando aqui)

14:52 As condições meteorológicas sentidas no local são excelentes, mas não se está a extrair combustível ou contetores.

12:36 No local a ondulação é agora inferior a um metro. O "CP Valour" apresenta-se ligeiramente mais adornado. Há diversas pequenas manchas de hidrocarbonetos em volta do navio e na Praia. As operações de limpeza na Praia e nas rochas continuam a bom ritmo.

12:10 Extracto do Comunicado da Marinha datado de 23 de Dezembro: "As operações de salvamento do navio CP Valour continuaram ontem durante todo o dia, tendo sido interrompidas devido ao agravamento das condições meteorológicas. Os navios Magadir e BBC Canada aguardam melhoria das condições meteorológicas para continuarem as operações de transferência de combustível e retirada dos contentores. O balanço até ao momento é de 550 toneladas de combustível retirado do CP Valour, estimando-se que existam ainda cerca de 400 toneladas no seu interior. Nos últimos dois dias e em condições de elevado risco, foi possível retirar os produtos inflamáveis e as substâncias perigosas existentes em dois dos três contentores referenciados. Nesta operação foi utilizado um helicóptero PUMA da Força Aérea Portuguesa (...). Os produtos retirados na totalidade, dizem respeito aos conteúdos dos contentores referenciados como de classe 3, (...) líquidos inflamáveis, e o conteúdo do contentor referenciado como de classe 9, considerado o de maior perigosidade para o ambiente, num total de 35 bidões de 227 quilos de Triphenyl Phosphite. O armador contratou um helicóptero pesado, KAMOV 32 que se estima agora chegar ao local e estar operacional em 26 de Dezembro, permitindo assim retirar a restante carga perigosa embalada em paletes de 1000 kg. A previsão meteorológica para os próximos dias aponta para um agravamento das condições de mar e vento, com incidência nos quadrantes Norte e Noroeste, este agravamento irá dificultar as operações de salvamento. Aproveitando as operações de transferência de combustível, a limpeza de areias acumuladas junto do casco e a retirada dos materiais perigosos, o rebocador oceânico Fotiy Krylov mantém um esforço de tracção ao navio puxando-o para fora operando em tensão constante. A Marinha através do Serviço de Combate à Poluição, e no sentido de prevenir outros derrames, deslocou para o local em quatro vôos (desde o início da operação) o material nacional de combate à poluição e que se consubstancia em: barreiras oceânicas; recuperadores e respectivas mangueiras para recolha de produtos poluentes derramados; bombas submersíveis para operar a bordo do CP Valour; uma empilhadora de cargas e material diverso; máquinas de lavagem de alta pressão de água quente para lavagem de rochas e acessos à Baía das Cabras. Este material, juntamente com o existente no porto da Horta tem sido utilizado em permanência na limpeza e remoção de produtos oleosos até agora derramados na praia e espelho de água adjacente.(...)" Leia o comunicado completo no sítio internet da Marinha carregando aqui.

 

Dia 22 de Dezembro

22:00 Quercus lança comunicado interrogando se "são estes os meios de combate à poluição que Portugal possui?" (leia o Comunicado completo carregando aqui).

17:00 Carregue aqui para ver um pequeno filme do CP Valour no dia 22 de Dezembro (15Mb). É possível ver as ondas a baterem contra o casco do navio. Durante todo o dia, o Fotiy Krylov tentou puxar o "CP Valour" aproveitando o balanço e movimento provocado pela ondulação. Sem sucesso.

16:00 Nova simulação realizada pelos colegas da Secção de Oceanografia Física para o dia 23 de Dezembro. "De acordo com o modelo de previsão meteorológica Windguru o vento de Sul irá crescer até aos 40 km/h. Isto aumentará a potencial deriva do hidrocarboneto em direcção a São Joge e poderá mesmo dispersar até ao Canal São Jorge-Pico. Importante: As nossas previsões integram modelos de dispersão de hidrocarbonetos no caso de haver um derrame sério no "CP Valour". Ou seja, se não houver derrame não se observará qualquer contaminação ou dispersão.

8:45 Navio "BBC" entra no Porto da Horta.

 

 

 

Dia 21 de Dezembro

23:30 Extracto do Comunicado da Marinha datado de 21 de Dezembro: "Durante o dia de hoje continuaram as operações de salvamento do navio "CP Valour", a retirada dos contentores que estão no navio bem como o combustível decorrem conforme o plano apresentado pelo armador.

A operação de trasfega do fuel está a ser realizada pelo navio Magadir desde ontem, o qual retirou cerca de 300 toneladas de combustível. No entanto, face às condições meteorológicas e por forma a garantir a operação em segurança, a transferência foi interrompida cerca da meia noite. As operações foram retomadas durante a manhã e estima-se que até ao final do dia de hoje sejam retiradas cerca de 700 toneladas de combustível no total. O (...) BBC Canada, está previsto chegar hoje, ao final da tarde, transportando bombas suplementares para retirar o material remanescente.

Entretanto a carga perigosa transportada no CP Valour começou também a ser retirada do navio, hoje pelas 14h00, nestas operações está envolvido um Helicóptero PUMA da Força Aérea, esperando-se que o helicóptero pesado contratado pelo Armador, o KAMOV 32, chegue no dia 27 de Dezembro. A operação (...) visa retirar a carga de maior perigosidade, Triphenyl Phosphite, que se encontra embalado em paletes de 230 kg, tendo sido já removidos cerca de 4 000 kg, o mesmo será colocado no porto da Horta devidamente acondicionado." (Leia o comunicado completo e veja fotos da operação no sítio internet da Marinha carregando aqui)

13:09 Carga classificada de perigosa está a ser retirada do "CP Valour" através de helicóptero. A operação está a decorrer normalmente. O navio ainda está a perder combustível.

Dia 20 de Dezembro

23:30 Comunicado da Marinha datado de 20 de Dezembro: "As operações de salvamento do navio encalhado "CP Valour", continuam, aproveitando a janela de tempo proporcionada pelas condições meteorológicas favoráveis que se irão manter até dia 24 de Dezembro. Relativamente aos trabalhos de combate à poluição na praia prosseguem a bom ritmo considerando-se que a situação continua controlada e confinada ao local, tendo sido até ao momento recolhidos cerca de 210 metros cúbicos de resíduos oleosos. O navio Magadir cuja missão consiste em descarregar o fuel do CP Valour chegou hoje ao local e iniciou a trasfega do combustível às 14.00 horas nos Açores e continuará durante a noite. Esta operação requer a colocação de bombas a bordo as quais terão capacidade para dentro dos tanques e na ausência de capacidade própria do navio aquecer o combustível até ao estado liquido, permitindo assim a sua sucção. Tecnicamente era inviável a descarga de fuel para terra com recurso a mangueiras por não ser possível mantê-lo a temperaturas tais que o mantenham no estado liquido, operação imprescindível ao seu êxito, mas sobretudo porque sendo exequível, a extensão de mangueira necessária arrefeceria o produto a meio do trajecto solidificando-o. Quanto ao navio BBC Canada, a sua chegada está prevista para amanhã durante o dia. A tarefa deste navio será a de retirar os contentores e transportá-los para um porto. Em simultâneo, e face à elevada quantidade de contentores existentes a bordo e, à posição relativa dos contentores com carga perigosa, estão a ser equacionadas soluções que permitam proceder-se à abertura dos 3 contentores e posicionamneto da respectiva carga em situação tal que seja possível a sua retirada por meios aéreos. Para efeitos da condução desta operação a Força Aérea Portuguesa disponibilizará um helicóptero PUMA presentemente estacionado na base das Lajes (Terceira), aguardando-se a chegada de um outro helicópetro pesado, um KAMOV 32 contratado para o efeito pelo armador. Refira-se que desde o dia 12 de Dezembro têm estado envolvidas, em média, cerca de 74 pessoas nas operações de limpeza e combate à poluição, relativamente a meios técnicos têm estado diariamente na Baía das Cabras cerca de 2 tractores, 2 atrelados, 1 máquina telescópia, 1 unimog, 3 camiões pesados, material da Administração do Porto do Triângulo e do Grupo Ocidental (APTO), 1 retro-escavadora, vários carros de transporte de pessoal, 3 botes e o material regional e nacional do Serviço de Combate à Poluição. As acções estão a ser coordenadas pela Autoridade Marítima em estreita colaboração com o Governo Regional em ligação permanente com o armador. A Marinha mantém no local as corvetas João Coutinho e João Roby, bem como o Pessoal do Serviço de Combate à Poluição. A Força Aérea Portuguesa apoia a operação com um helicóptero PUMA em estado de alerta na Ilha Terceira para eventuais acções de salvamento ou outras que se considerem necessárias." (Leia o comunicado original no sítio internet da Marinha carregando aqui)

17:00
Informações obtidas no local indicam que a trasfega tem estado a decorrer a bom ritmo.

13:57
Nova simulação realizada pelos colegas da Secção de Oceanografia Física para os dias 20 e 21.
> download (.pdf 114kb)

13:30 foram colocadas mangueiras entre o navio de extracção de combustíveis e o "CP Valour". Aínda não se iniciou a operação, que se prevê durar cerca de 48 horas. O fuelóleo necessita de aquecimento por causa da sua alta viscosidade e isso atrasa o início do processo.

05:00 Chegou esta manhã o navio previsto para efectuar a transferência do combustível.

Dia 19 de Dezembro

16:52 Já está disponível o mapa de impacto actualizado produzido pelo Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores. Carregue aqui para ver o mapa. Não há razões para colocar a hipótese de qualquer outra zona estar afectada pelas libertações de combustível do "CP Valour". A zona que irá ser interditada à pesca abrange totalmente e precaucionariamente a zona poluída ou em risco. Note-se que os bancos de pesca dos Açores, onde é realizada a grande maioria das capturas demersais, não foi minimamente atingida pelo acidente do "CP Valour". Assim, o pescado proveniente dos Açores mantém a sua reconhecida boa qualidade.

16:30 A Secretaria Regional do Ambiente e do Mar anúncia que irá interditar à pesca e ao tráfego marítimo a zona entre a Ponta dos Capelinhos e Ponta dos Cedros, na Ilha do Faial (Açores). Espera-se assim eliminar qualquer risco para a saúde pública e manter a qualidade do pescado açoriano. Esta interdição tem também o objectivo manter livre de tráfego marítimo a zona em redor do acidente para facilitar as operações de resgate.

11:57 O navio deixou de libertar IFO 380. Alguma quantidade desta substância encontra-se no fundo do mar entre o navio e terra.

Dia 18 de Dezembro

20:00
Nova simulação realizado pelos colegas da Secção de Oceanografia Física. Esta simulação é especialmente dedicada aos dias em que se prevê um agravamento das condições meteorológicas. Veja carregando aqui.

17:30 Extracto do novo Comunicado da Marinha: "As operações de salvamento do navio encalhado "CP Valour", continuam, aproveitando a janela de tempo proporcionada pelas condições meteorológicas favoráveis. (...) verifica-se um atraso na chegada dos dois navios fretados para a remoção dos contentores e transferência de combustível. É importante referir que estes navios foram fretados no mercado internacional, e as suas características náuticas não lhes permitem navegar a velocidades elevadas, prevendo-se a sua chegada ao local dia 21 de Dezembro. Na sequência deste atraso, tomou a Marinha, juntamente com as entidades regionais a iniciativa de procurar soluções alternativas que visam retirar de outra forma os conteúdos existentes nos contentores, designadamente aqueles que são considerados de elevada perigosidade para o ambiente. As soluções equacionadas visam desembarcar manualmente e com auxílio dos recursos humanos e técnicos existentes no arquipélago, os materiais perigosos, que se sabe encontrarem-se armazenados em latas de 10 kg e bidões de 70 kg. A posição relativa dos contentores e a elevada quantidade de produto existente dentro dos contentores apresenta dificuldades acrescidas à condução das operações." (Leia o comunicado completo carregando aqui.)


Dia 17 de Dezembro

17:30
Continuaram as operações de limpeza na zona rochosa e arenosa da Praia do Norte. Os navios continuam a dragar areia em volta do "CP Valour". A barreira flutuante, que, ao contrário do que havia sido anunciado antes, não é oceânica, mas sim portuária, revela-se pouco eficiente, deixando partes das manchas de IFO 380 escapar para Oeste. Foram registadas duas manchas nessas condições: uma com 20 x 0,5m e outra com 7 x 5m.
Continua a não haver meios para retirar o fuel-óleo directamente de dentro de água. As equipas de limpeza continuam à espera que os hidrocarbonetos cheguem a terra para depois, finalmente, os removerem.
Equipa do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores faz um levantamento minuncioso da situação ecológica da zona entre marés e supralitoral.
Deputado nacional Renato Leal visita o local.
Previsão meteorológica melhora alargando, aparentemente, a janela de tempo razoável até dia 23 de Dezembro. (Ver Meteo aqui).
Pela importância do seu conteúdo, do comunicado da Marinha datado de 15 de Dezembro, destaca-se o seguinte: "[sobre a carga] Um dos contentores contém 6 toneladas de líquidos inflamáveis identificados como classe 3 pela Organização Marítima Internacional, designadamente tintas de impressão e tolueno. Um outro contentor contém 19 toneladas de um produto identificado como "Sodium Persulphate" (classe 5.1), substância oxidante, e que consiste num pó branco cristalino, que, quando em contacto com a água, se decompõe podendo dar origem a produtos nocivos como amoníaco e sulfuretos. O terceiro contentor contém 8 toneladas de uma substância identificada como Triphenyl Phosphite (Classe 9), substância considerada perigosa, não solúvel em água. Este produto é nocivo, irritante e muito tóxico. Todos estes produtos são potenciais causadores de poluição se derramados no ambiente marinho, podendo vir a provocar danos nos ecossistemas.
Com base no sistema legal em vigor, o armador apresentou (...) o plano inicial para a remoção de destroços, de hidrocarbonetos, combustíveis e demais produtos considerados poluentes. Este plano contempla três fases distintas, a recuperação do navio encalhado, planos de desembarque dos contentores e trasfega do combustível existente a bordo. O plano refere explicitamente o seguinte: Recuperação do navio: - Contratação do rebocador Oceânico "Fotiy Krylov" a partir do dia 10 de Dezembro, operando em continuo desde então; - Aluguer de um compressor de ar para pressurização dos tanques e consequente aumento de flutuabilidade do navio; - Embarque de uma equipa técnica especializada em salvamento marítimo composta por cinco elementos. Desembarque dos contentores: - Contratação do navio "MAGADIR" proveniente de Gibraltar, equipado com material adequado para remoção de contentores; - Estima-se a presença do navio MAGADIR dia 18 no local, servindo de plataforma para descarga dos contentores; - Contratação do navio multicasco "BBC CANADA" equipado com grua especifica para contentores, estima-se a chegada do navio ao local dia 18; - A intenção é remover os contentores aproveitando as condições favoráveis de mar e vento que se fazem sentir na zona. Trasfega de combustível: - Avaliação do estado dos tanques de combustível, e preparação da sua remoção para barcaça; - Em estudo a contratação de navios barcaças para transporte do combustível transferido. Todas estas linhas de acção visam minimizar o risco de poluição, e em simultâneo aliviar o peso (deslocamento) do navio, aumentando-lhe assim a capacidade de flutuação." (Leia o comunicado completo carregando aqui)


Dia 16 de Dezembro

17:05
Os nossos colegas da Secção de Oceanografia Física, Ana Martins e Igor Bashmatchnikov, fizeram uma nova simulação sobre a possível dispersão de combustível, caso haja uma libertação massiva (o que, para já, não é provável). Em breve estará disponível uma nova simulação para dia 22, em que se prevê uma ondulação mais alta e vento mais forte e ambos do quadrante oeste. Veja a simulação em .pdf carregando aqui.

16:25 O navio continua a libertar fuelóleo, mas em pequena quantidade. Foi colocada uma barreira flutuante oceânica entre a proa do navio e terra para conter o combustível na baía da Praia do Norte, sem que este se possa aproximar das zonas classificadas como "Rede Natura 2000".

10:32 "Selendang Ayu incident - fuel properties and implications for potential spillages" é um documento .pdf relacionado com um acidente ocorrido em Dezembro de 2004 no Alaska, descrevendo as características do fuel-óleo IFO 380.

09:10 Fonte ligada ao armador afirma que o navio "CP Valour" sairá "rapidamente" da Praia do Norte e, caso para isso seja necessário, virão mais embarcações prestar apoio.

Dia 15 de Dezembro

17:57
Segundo fonte não oficial, há três embarcações a deslocarem-se para os Açores: 1 draga de grande capacidade, 1 pontão com capacidade para retirar os contentores de bordo do "CP Valour" e um navio-trasfega para retirar o combustível de bordo. As operações de remoção do "CP Valour" foram interrompidas até que estas embarcações cheguem visto que, alegadamente, a estrutura do navio estava a ser posta em causa pelo esforço exercido. A chegada desta frota está prevista para o meio da próxima semana.
As operações de limpeza na Praia do Norte continuaram até ao início da noite.

15:15 Na zona da Praia do Norte faz-se sentir um vento Nordeste fresco que tem dificultado algumas das manobras. A mancha de fuelóleo assinalada anteriormente não aumentou em volume, aproximou-se da terra onde já está a ser recolhida. Uma segunda mancha, aparentemente gasóleo, estende-se até 30 m a estibordo do navio e duzentos metros a popa. Na praia e zonas limítrofes encontram-se cerca de 50 elementos a efectuar as limpezas, a monitorizar os focos poluentes e a coordenar as operações. Estes elementos pertencem a Marinha (incluindo o Serviço Nacional de Combate a Poluição), Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, Secretaria Regional da Agricultura e Florestas, Direcção Regional das Obras Publicas, Câmara Municpal da Horta, Exército e entidades privadas.

14:00 Corveta da Marinha de Guerra Portuguesa "João Roby" embate contra o Porto da Horta. Estragos não são elevados, nem está em perigo a segurança da embarcação. Este navio encontra-se na Ilha do Faial a prestar apoio ao processo de resgate do "CP Valour".

11:33 Provavelmente devido à introdução de ar sob pressão nos porões, o navio recomeçou a largar IFO 380. Neste momento há duas linhas, uma pela popa e outra pela proa, de combustível a sair do "CP Valour". Esta mancha, com cerca de 40 x 20 metros ainda não chegou a terra.
Draga continua a extrair areia em volta do navio. Forças militares da Armada e do Exército continuam as limpezas nas zonas rochosas em terra.

09:32 Via LUSA, a Sociedade Portuguêsa para o Estudo das Aves (SPEA) adianta que o "CP Valour" derramou 2000 toneladas de combustível. Esta informação, tanto quanto a IntraDOP conseguiu apurar, não foi confirmada no local. Estimativas apontam para uma libertação de 75 a 175 toneladas de IFO380, das quais cerca de 30 toneladas já foram recuperadas durante as limpezas da Praia do Norte. As restantes informações veículadas pela SPEA são, no entanto, importantes porque enfatizam o problema potencial caso os tanques de combustível principais se rompam.
Correcção adicionada a 20 de Dezembro: O comunicado da SPEA não deveria ter permitido que a LUSA retirasse as conclusões que difundiu a 15 de Dezembro. Leia o comunicado original da SPEA carregando aqui.

09:31 Director do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores declara ao Diário de Notícias que a recuperação ambiental demorerá um ano, caso não haja mais emissões poluentes. > leia mais...

09:30 Trabalho de pesquisa jornalística de Filomena Naves, do jornal Diário de Notícias, confirma a existência a bordo do "CP Valour" de "oito toneladas de trifenil fosfito, um produto químico antioxidante, que entra na composição de herbicidas e pesticidas e que reage ao contacto com a água. Outro tem 6,3 toneladas de tintas e há ainda um terceiro contentor com 1,9 toneladas de outra substância química oxidante, que é o persulfato de sódio". Para além disso, a bordo há 500 contentores de carga geral. Leia a notícia completa carregando aqui.

09:00
RTP - Açores, Programa "Bom-Dia", anúncia que irá chegar de Gibraltar uma plataforma flutuante para retirar os contentores do "CP Valour". Espera-se que, com a diminuição do peso, seja possível rebocar o navio.

>> notícias dos dias 9 - 14 de Dezembro e lista de links <<

As horas mencionadas estão aferidas à hora local nos Açores. A cronologia referida não está correcta ao minuto.

Carregue sobre as imagens para obter ampliações.
A utilização das fotos sem crédito, presentes nesta página, é livre desde que mencionado o banco de imagem "ImagDOP".
Fotos: F Cardigos, E Arand, P Afonso e Rui Prieto - ImagDOP
Vigilantes da Natureza: - SRAM.
Última alteração: 2006-08-10 14:36